27 de jul de 2007

Chimarrão - Glauco Saraiva

Amargo doce que eu sorvo
Num beijo em lábios de prata.
Tens o perfume da mata
Molhada pelo sereno.
E a cuia, seio moreno,
Que passa de mão em mão
Traduz, no meu chimarrão,
Em sua simplicidade,
A velha hospitalidade
Da gente do meu rincão.
Trazes à minha lembrança,
Neste teu sabor selvagem,
A mística beberagem,
Do feiticeiro charrua,
E o perfil da lança nua,
Encravada na coxilha,
Apontando firme a trilha,
Por onde rolou a história,
Empoeirada de glórias,
De tradição farroupilha.
Em teus últimos arrancos,
Ao ronco do teu findar,
Ouço um potro a corcovear,
Na imensidão deste pampa,
E em minha mente se estampa,
Reboando nos confins ,
A voz febril dos clarins,
Repinicando: "Avançar"!
E então eu fico a pensar,
Apertando o lábio, assim,
Que o amargo está no fim,
E a seiva forte que eu sinto,
É o sangue de trinta e cinco,
Que volta verde pra mim.

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&
Hoje estou bem campeira hehehe.

26 de jul de 2007

Visita ao Ashram (Santo Antônio Descoberto - GO) e Brasília - DF

Olá, amigos! Abaixo um slide da minha pequena visitinha ao Ashram n.º 13 em Santo Antônio Descoberto, em Goiás, e um tour relâmpago pela cidade de Brasília - DF. Para os que ficaram curiosos para saber o que é um Ashram, aí vai: é um lugar de meditação, prática de ioga, investigação espiritual e de educação, tanto religiosa como cultural, em que os alunos convivem debaixo do mesmo teto que seus mestres. Funcionam como um lugar de retiro. A vida nos ashram é tranquila para facilitar assim o estudo dos textos e a meditação. A atividade diária contém uma série de horários fixos que marcam cada uma das atividades do dia. Uma parte das tarefas cotidianas são dedicadas à preservação do próprio ashram. Aos hospedes se exige que respeitem a todo momento as normas, que incluem o respeito pela não-violência e a autodisciplina.
Foram dias muito especiais para mim e gostaria de dividí-los um pouquinho com vocês. Beijos.

20 de jul de 2007

Podes Crer - Cidade Negra

O que é, meu irmão

Eu sei o que te agrada

E o que te dói, e o que te dói

É preciso estar tranqüilo

Pra se olhar dentro do espelho

Refletir

O que é?

Seja você quem for

Eu te conheço muito bem

E isso faz bem pra mim

Isso faz bem pra vida

Onde quer que vá

Eu vou estar também

Eu vou me lembrar

Daquela canção que diz

Parapapapa....

Bendito

Encontro

Na vida

Amigo

É tão forte quanto o vento quando sopra

Tronco forte que não quebra, não entorta

Podes crer, podes crer,

Eu tô falando de amizade

Para todos os meus amigos... presentes ou não, vísiveis ou não... um grande abraço pelo "Dia do Amigo".

11 de jul de 2007

- 3ºC... brrrrr

Bah... tchê! Que barbaridade! Hoje acordei com a notícia de que estava fazendo -3ºC em Santana do Livramento, senti um arrepio e dei graças a Deus de estar acordando em Santa Cruz do Sul hehehe. Credo... pra passar o dia de hoje em Livramento, só com muito "ingrediente" como diz o Zeca Pagodinho... hehehe. Os gaudérios vão congelar! Mas não tá morto quem peleia, vão ter que apelar pra "água que passarinho não bebe", fogão a lenha, bastante mate... hahaha.
Mas tem outra "cosita" que queria comentar aqui. É sobre o jogo da "seleção canarinho" com a "celeste" ontem à noite. Gente, que coisa estranha ver o Brasil jogar com "la celeste" longe da fronteira. Não tem graça nenhuma... hahaha. Não dá pra colocar a cara na janela e gritar algum desaforo pros "hermanos". Não tem piadinhas no outro dia. Não se vê ninguém vestindo a camiseta da seleção nas ruas, pra dar aquela toureada básica nos castelhanos... kkkk Não tem cordão de isolamento na divisa. Realmente, jogo do Brasil com o Uruguai tem que obrigatoriamente ser visto na fronteira e ponto final. Você já sabem, se forem "pra outras bandas" e tiver jogo do Brasil x Uruguai, larguem tudo e voltem correndo pra fronteira. hehehe

Yes nós temos bananas... e umas das sete maravilhas do mundo moderno

Rodeado de misticismo na escolha do dia para o anúncio oficial do concurso que elegeu as sete maravilhas do mundo moderno, o mundo ficou sabendo que o Brasil, além de samba, carnaval, mulher bonita e um povo sem igual, tem também o Cristo Redentor. Como brasileira não dá pra não ficar feliz. Diante de tantas candidaturas, nosso Cristo não fez feio. Também, não é pra menos. Enquanto umas são armações de ferro puro, bruto, outras ficam fazendo pose com tocha na mão, o nosso Cristo está de braços abertos, recebendo todos que chegam à Cidade Maravilhosa. Falando sério, não tem coisa mais simpática e acolhedora do que “aquele abraço”. É uma coisa que gostaria muito de ver pessoalmente e um dia realizarei esse sonho.
Segundo o Gênesis, o mundo foi criado em sete dias, aliás, em seis, pois o sétimo Deus teria usado para descansar. Ninguém é de ferro, né? A semana tem sete dias. São sete as ciências naturais. São sete as virtudes e, os pecados capitais... São sete as notas musicais. São sete as cores do arco-íris. Sete foram as pragas com que Moisés castigou o povo do Egito. Alguns acreditam que serão sete também as pragas finais do apocalipse. Sete são os arcanjos. Foram sete as maravilhas do mundo antigo. Dessas sete, só uma ainda existe, as Pirâmides de Gizé no Egito. E agora são sete as maravilhas do mundo moderno, eleitas através de voto popular: Muralha da China, Petra, Cristo Redentor, Machu Picchu, Taj Mahal, Chichén Itzá e o Coliseu.

Abaixo um resuminho do texto encontrado na Wikipédia sobre o Cristo Redentor:
O Cristo Redentor é uma estátua localizada na cidade do Rio de Janeiro, a 709 metros acima do nível do mar, no morro do Corcovado. De seus 38 metros, oito estão no pedestal. Foi inaugurado no dia 12 de outubro de 1931, depois de cerca de cinco anos de obras.
A construção do Cristo Redentor ainda é considerada uma dos grandes capítulos da engenharia civil brasileira. O dono do projeto levou sua vida inteira construindo a estátua, que foi construída em pedra-sabão, originária do próprio pico do Corcovado. Dentre outras pessoas que colaboraram para a sua realização, podem ser citados o engenheiro Heitor da Silva Costa (autor do projeto escolhido em 1923), o artista plástico Carlos Oswald (autor do desenho final do monumento) e o escultor francês de origem polonesa Paul Landowski (executor da escultura).
Alguns historiadores especulam que o monumento seria um presente da França para o Brasil em resposta a alguma tentativas de invasão.

4 de jul de 2007

Adoro gatos...

No Egito, o gato foi venerado como um animal delicado e útil, era o favorito da deusa Bastet (deusa egípcia com cabeça de gato e corpo humano) - a protetora dos lares, das mães e das crianças.
No Antigo Egito, o gato doméstico, trazido do sul ou do oeste por volta do ano de 2.100 a.C., é considerado um ser divino, de tal ordem que, se um deles morrer de morte natural, as pessoas da casa raspam as sobrancelhas em sinal de luto.
O gato é um símbolo que assumiu múltiplos significados entre as diferentes civilizações, na simbologia. Segundo uma tradição celta, ele teria nove vidas. Posteriormente, durante a Idade Média, o gato passou a ter apenas sete vidas. Animal misterioso associado aos poderes da lua, ao mundo da magia e às bruxas, os machos pretos eram a personificação do diabo.
Na Cabala e no budismo o gato representa a sabedoria, a prudência e a vivacidade. A tradição popular japonesa aponta-o como um animal que atrai má sorte.
Apesar de tudo isso, ou sei lá, talvez por isso tudo e mais um pouco... ADORO GATOS!!!! Os gatos andam nas pontas dos dedos. Os gatos são muito limpos e passam cerca de 30% de sua vida se limpando. Isaac Newton, Chopin, Buddha, Julio Verne, Monet, Renoir adoravam gatos também. Para os que como eu admiram esses bichanos, fiz o slide abaixo.