24 de jan de 2012

Companheiros de Viagem - Parte 2: quando estou pra poemas...

Quem também foi na mala de viagem foi a agudense Daniela Damaris, poetisa por condição, já que ela mesma diz que poesia não é escolha. Conheci pessoalmente e é uma daquelas pessoas que gostamos de graça. Até o momento era de graça, agora tem motivo: adorei a poesia dela. Essa escorpiana escreve de forma intensa como não poderia deixar de ser para uma legítima representante desse signo. O livro escolhido foi Cais de Cítara. 




Daniela trouxe cor aos dias nublados que passei na Praia do Campeche.  Como bem diz a autora: "Acho que estou pra poemas. E quando estou pra poemas, não estou pra mais ninguém. O mundo muda de tom". A identificação com seus versos foi de cara. Difícil destacar só um poema, mas escolhi Arca para compartilhar com vocês.

Arca

aprendi a me deixar ir
             sem tristeza nos lábios
             poemas de demora papéis guardados
             portas fechadas de angústias inúteis

aprendi a me deixar no silêncio
             ...........................................................
             ...........................................................
             ...........................................................

no intervalo de uns versos cartografados na carne
             em notas que dormem saudades
             sóis e flores a me dizer às calçadas
             baunilha em lenços ao vento de outono

arca de olhares
a amanhecer

Nenhum comentário: