1 de jun de 2010

O retorno de vênus

Comprei salto alto e vestido hoje. Tudo bem, não precisam disfarçar a surpresa... Até eu me surpreendi. Tive um ataque de #mulherzinha. Quando era criança, como toda menina, pegava os sapatos de salto da minha mãe (que cabiam 2 pés meus) e ensaiava um andar desajeitado. Aos quinze usei o tradicional 4 ou 5 cm... Salto de mocinha. Depois disso tive sapatos de salto alto, mas não usava muito. Eram restritos a cerimônias de casamento e assemelhados. Sempre fui meio avessa a essas coisas que na minha cabeça eram
frescurinhas de dondoca (e também por me estressar com o ‘tec tec’). Como ando muito, rápido e gosto de ter liberdade de movimentos, sempre optei por algo prático e que não me apertasse os pés. Bah!, viro um nada, um monte de carne, se tiver com dor nos pés. Então em favor da praticidade matei o salto alto na minha vida, só me restringindo às plataformas, anabela e tal. Dias desses uns amigos comentavam o fascínio do público masculino pelo acessório feminino. Falaram tanto, mas tanto, que até pensei em comprar. Recusava-me a crer que um simples salto fizesse tanto como eles diziam. Namorei saltos nas vitrines algum tempo. Esses dias, seguindo o @mirgonkayser fui atrás de um link. Adivinha qual era o assunto? Pois é. Aí, andava eu despreocupadamente, quando me deparei com ele na vitrine. Não resisti, entrei, experimentei e comprei (amor à primeira vista). Nem tinha saído da loja e já me sentia poderosa. Freud explica? Será que finalmente está surgindo uma mulher por aqui? Talvez. Acho que uma diferente pelo menos. Mais segura, quem sabe. Se os saltos têm algum poder de sedução vou acabar descobrindo. O fato é que mexe com nossa auto-estima, isso não posso negar. Ainda mais quando na caixa do sapato vem gravado o desafio “apaixone-se por você”. Venho me namorando há tempos... Flerto comigo quase todo dia. Incrível o que tenho descoberto nesse convívio íntimo. Entre tapas e beijos confesso: não sou um modelo de perfeição, mas eu me amo! E isso faz tanta diferença... E agora cá estou eu, toda poderosa, de salto, escrevendo esse post (hehe). Até quando? Só Deus sabe... E Freud explica (acho...). ;-) Pra quem já aprendeu a vestir a armadura na marra, vou aprendendo a ser ‘mulherzinha’ aos poucos. Não deve ser tão difícil.

Obs: Visitem o site da Dakota e delicie-se com a linda campanha. Parabéns aos publicitários e aos designers de sapatos que estão levando em conta além da beleza do modelo, também o conforto. Nossos pezinhos agradecem. Gracias a @mirgonkayser pelo empurrãozinho...

2 comentários:

Mirgon Kayser Junior disse...

Empurrãozinho meu? Fique sempre a vontade quando precisares de empurrões para novos saltos altos... =)

Beijos e parabéns pela aquisição e o efeito que descrevi corretamente... rsrs

@mirgonkayser

Stella disse...

Resposta:
Oi,
Desde que teus empurrões não façam com que eu me esborrache no chão... hehehe Mas esse negócio de salto alto precisa ter café no bule, então se quiser bancar ($$$) será bem vindo. :D Espero que o efeito seja bom, não quero saber de joanetes e dores nas costas :D. Obrigada pela visita e comentário. Volte sempre e se perca no meu Infinito Particular. Bj!