12 de jun de 2010

Livre, leve, solta e apaixonada

Quando se tem um coração romântico demais, se têm cicatrizes demais também. É a lei. Vivemos numa gangorra, oscilando entre fases de mocinha à espera do príncipe e mulher auto-suficiente. Já dizia Che: “hay que endurecerse, pero perder la ternura, jamás”. Por vezes, vestimos a armadura de guerreira para evitar as dores da luta, mas não percamos a esperança. Bom seria que quando ele (o dito cujo que os otimistas dizem que existe para cada um) chegasse, pudéssemos abrir as cortinas do palco do coração como quem diz “veja todos os atos falhos, todas as dores causadas e não as repita, por favor”. Enquanto esse dia não chega,
vamos tentando, arriscando nessa vida de solteira. Hoje é o dia dos apaixonados. Se você tem com quem dividir seus dias (melhores e piores momentos), demonstre seus sentimentos. Não só hoje, mas todos os dias que estiverem juntos e longe também. Demonstre carinho, não que você gastou muito num presente material (isso só é lucro pro comércio). Mas alguns não terão jantares românticos, não receberão flores em casa; nem caixas de bombons; nem presentinhos com segundas, e até quintas intenções; muito menos noites cheias de carícias. Não se deixe desanimar. Vamos enchendo nossa vida de paixão! Paixão pela própria vida; pela música linda; pelas tão poéticas palavras dos livros; pela natureza, cheia de imensa beleza e perfeição; pelo outro, pelo simples fato de estar compartilhando desses momentos na mesma época que você. Nesse dia presenteie-se com mimos diversos pela sua companhia maravilhosa. Faça um jantar com todo carinho (só pra você ou para amigos que emprestam o ombro). Permita-se atenção, carinho e toda a dedicação. Olhe-se no espelho e diga em alto e bom som EU TE AMO. Abra a porta, veja a vida que te espera e pense OBRIGADA. Porque o amor é mais, muito mais que tudo isso que aparece em comerciais sobre a data em questão. Seja feliz por você, com você, independente dos casais que, especialmente no dia de hoje, insistirão em esfregar na sua cara todo o mel e cumplicidade que compartilham. Pense, você também tem, e siga; e depois... Você tem mais 364 dias do ano, todos seus. ;D Sou brasileira e não desisto nunca! O amor está no ar...

4 comentários:

Marcelo disse...

"Não se deixe desanimar".
Esta sua frase é pra mim a síntese do amor próprio. Recurso ímpar, prerrogativa necessária para poder estar apaixonado por si, por outros e pela razão de ser.
Eu, as vezes me confundo no mundo pelo excesso de ter. não me perdi. Eu Sou.
Mas, fico desorientado, qdo ao meu lado, alguém não presta atenção no meu coraçao. Um coração que não pede nada. Só quer ser junto de alguém.

Stella disse...

Resposta:
Oi, Marcelo. Aprendi a resgatar meu amor próprio depois de muitas cabeçadas e ver o qto de vida estava perdendo em me lamenar. Lendo teu comentário fico pensando: as pessoas só mudam de endereço... temos os mesmo sonhos, as mesmas dores... Eu, assim como tu, também sou. Talvez o motivo da nossa desorientação seja justamente esse desejo forte de querer ser junto com alguém. Queremos tanto que às vezes 'desrespeitamos' um pouco o jeito de ser o outro. Os que nos parecem desatentos, podem simplesmente ter uma outra forma de ver o amor. Não estou tirando tua razão, ok? Mas conselho básico: nunca se contente com pouco, só pra não ser só. Seja feliz! Obrigada pela visita e comentário. Bj!

Du disse...

Que lindo \o/

Anônimo disse...

Legal colega, nunca desistas de ser feliz!!!!

Um certo rapaz de Esteio/RS