5 de abr de 2010

Tem um espírito amigo aqui...

Dia 02 de abril, Chico Xavier completaria 100 anos se ainda estivesse encarnado. Para homenagear essa grande pessoa e espírito iluminado fui assistir ao filme Chico Xavier. Já esperava emoção, pois tudo que vem de Chico é assim. Só a imagem dele me toca. Ele não teve uma vida fácil, e mesmo assim por tudo que se sabe, se lê e se vê sobre essa figura transparece tranqüilidade e paciência. Um ser de uma disciplina que, sinceramente, não sei se um dia alcançarei. O filme mostra Chico um ser humano comum, com um quê especial. Uma pessoa que teve infância difícil, trabalhador, humilde, que teve seus medos, seus momentos de
humor e de dúvida, foi traído, e que no meio de tudo isso, descobriu-se médium. Aliás, ele sempre soube que acontecia algo “especial” com ele, só não entendia, não tinha a compreensão do que era. E o filme mostra que esse entendimento só veio através de seu mentor Emmanuel. Um marco na vida de Chico que o filme soube bem mostrar. Concordo com a mensagem que aparece no início do filme, quase um pedido de desculpas antecipado: “A história de um homem não cabe num filme...” ainda mais sendo um homem da grandeza de Chico Xavier. O filme foi baseado no livro As vidas de Chico Xavier, de Marcel Souto Maior (ao qual li e recomendo) e teve direção de Daniel filho. Marcel não é espírita e Daniel é ateu, o que a meu ver colabora mais ainda para dar imparcialidade e valor à figura do médium, sem apelo ao sobrenatural ou pieguice. Em tempo: Nelson Xavier e Angelo Antônio estão perfeitos. Atores nota 10.


"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”. (Chico Xavier)


3 comentários:

M.M.Soriano disse...

Olha eu aqui comentado por encomenda!!!! :-)))

Adorei os sons! Adoro músicas, principalmente estas que acalmam... Sou meio turbulento interiormente; preciso de contra-balanços! :-))

Bjs

Stella disse...

Resposta:
Olha só, encomenda é bom quando chega... Adorei que passou por aqui e gostou das músicas. Adorei as do teu blog também. Então quando precisar de um contra-balanço já sabe o caminho...hehehe É só voltar. Mas diz a lenda que só dá certo se deixar um comentário ;D. Bjs

Marcelo Dias disse...

Daniel filho, o diretor tbm é ateu. concordo com vc que este fato da mais originalidade ao filme! achei mto bom tbm, inclusive chorei e ri neste filme, duas euforias! só o chico mesmo...
legal o post!