30 de dez de 2008

Depende de nós... um 2009 melhor

Mais um ano se vai. Mais uma avaliação se faz, e sempre tento procurar um saldo positivo no balanço do ano. Em 2008, me emocionei com César Cielo e Maurren Maggi nas Olimpíadas, e com a despedida do Guga, só pra lembrar alguns fatos do ano. Mas a lição mais importante que aprendi, melhor dizendo, reafirmei, foi o valor de uma amizade sincera. Nesse ano presenciei alguns acontecimentos não muito bons, exemplos de como o ser humano pode ser ingrato e cruel. Não gosto de ver amigos sofrendo, mas algumas coisas a gente aprende observando. Valeu a lição. Minhas maiores alegrias no ano foram:
  • ter conhecido a cidade maravilhosa,
  • a notícia de que serei dinda,
  • ter concluído o primeiro módulo do curso de Mídias e reiniciado o segundo com a notícia de que o curso foi aprovado como pós-graduação (especialização),
  • o presente de ir e conhecer a Bahia, rever meu dindo e sua família,
  • ter conhecido pessoas e lugares especiais que fizeram diferença na minha vida,
  • ter resolvido alguns assuntos mal resolvidos e me libertado de algumas amarras,
  • ter assistido ao show da Mercedes Sosa, Zé Ramalho e Chimarruts,
  • ter participado de seminários que fizeram ampliar minha visão no trabalho,
  • manifestações de apreço dos amigos que sempre são tão boas da gente ouvir,
  • saber das alegrias de meus amigos, pois amigo que é amigo, fica feliz com a felicidade do outro,
  • oportunidades na caminhada espiritual que se apresentam e que aos poucos estou acolhendo.
Alguns filmes mexeram comigo esse ano: Antes de Partir, Caçador de Pipas e Na natureza selvagem.
Músicas que embalaram meu 2008: Rihanna - Don’t Stop The Music , Alicia Keys - No One , Colbie Caillat - Bubbly, Kelly Key - Você é o cara , Danni Carlos - Coisas Que Eu Sei , James Blunt - Same Mistake, Chimarruts - Saber Voar, Armandinho - Semente, Vanessa da Mata - Amado, Darvin - Pensa em mim, Nando Reis - Sou dela, e muitas da Loreena Mckennitt e toda a "velharada" que sempre escuto.
Na TV quase nada merece destaque, exceção para o programa "Som Brasil". Pena que na Globo tudo que é bom é num horário muito louco, e fora dela pouco tenho acesso. Alguns fatos no esporte me emocionaram, mas já mencionei no início desse texto, e nada mais. Enchi o saco do apelo sensacionalista, da exploração da desgraça, tipo pais atirando filhos da janela, famílias que perderam tudo em enchentes, etc.
Aproveito o espaço pra agradecer tudo que recebi nesse ano, todas as lições, todas as oportunidades de estudo, os amigos que chegaram e os que se afastaram, todos os afetos e desafetos (se tive), todas as alegrias e tristezas, toda a fartura e escassez, enfim, tudo que colaborou pro meu crescimento.
Viram? Entre créditos e débitos, o saldo sempre é positivo. Feliz Ano Novo pra nós... Agora é planejar os objetivos pra 2009, ou deixar a vida me levar...
Pra variar, fiz mais um vídeo pra esse momento. Como diz meu amigo Joe, sou piégas... Não tem jeito, melhor assumir de vez. Pronto, a aceitação é o último estágio, dizem... (hehehe)

25 de dez de 2008

Além dessa vida...

Quando voltar para a pátria espiritual, eu, "alma" chegarei vestida de meu perispírito. Não poderei levar meu notebook, nem meu celular com tecnologia 3G... Nem será preciso. Se neste mundo físico os avanços tecnológicos estão em evolução constante, no mundo espiritual já é um show. Sistem de banco de dados, DVD, telão... Sentarei em uma poltrona flutuante, ajustada ao meu tamanho e na direção dos meus olhos, verei uma tela enorme de um material não existente ainda na Terra que alcançar uma nitidez maior que qualquer LCD ou plasma. Lá verei meus melhores e piores momentos, numa megaprodução de deixar Spielberg roxo de inveja. Meus dados, dessa e de outras vidas, estarão num chip minúsculo. Onde a capacidade ultrapassará qualquer "terabyte". Nesse momento descobrirei que tudo que preciso trago comigo, gravado nesse que é a maior "tecnologia", meu perispírito. Todas as informações necessárias para acessar meus dados, reinstalar o sistema, desfragmentar, reparar erros, fazer "upgrades", atualizações... Tudo enfim está em mim.

Texto publicado no Informativo Espírita Renascer. Para saber mais visite: http://renascerscs.pbwiki.com.
OBS: A imagem é de uma planta que muito me encanta desde a infância, o "Dente de Leão". Alguns conhecerm por "Esperança" ou ainda "Amor dos homens". Porque a escolha? Não sei explicar muito bem, só sei dizer que de repente veio essa imagem ao pensar em algo para ilustrar o texto. Talvez porque acalanto o sonho de que um dia meu espírito seja assim como ela, leve, num campo lindo, que quando está no ponto e o vento sopra viaja por vários mundos...

24 de dez de 2008

O espírito natalino me pegou...


Ok, tentei resistir e não consegui. O espírito natalino me pegou e eu acabei fazendo um vídeo de Natal bem piégas... hehehe. Mas adorei a música, que é de um grupo que gosto muito e adorei também catar as imagens na internet e fazer esse mimo. Estou ficando louca por esse negócio de vídeos. Espero que vocês gostem.
Então, dedico o vídeo a vocês meus amigos, de hoje, de muito tempo, aos que eu vejo com frequência, aos que não vejo tanto e também aos que nunca vi. Aos que participam da minha vida, aos que estão presente sempre, aos que não estão e gostariam, aos que chegaram a pouco no meu grupo de amigos, aos que irão permancer e aos que a vida afastar, enfim a todos vocês que de alguma forma eu quero bem. Que a gente consiga fazer o Natal todo dia e colocar em prática a letra da música. Um grande abraço e Feliz Natal!

15 de dez de 2008

Dia Beatle

O primeiro domingo de dezembro é o Dia Beatle em Santa Cruz. É um dia dedicado a uma banda muito especial de Liverpool, que fez história no mundo da música. Nesse dia várias bandas da cidade apresentam duas músicas da "The Beatles" na Praça Getúlio Vargas. O evento é aberto, as bandas não recebem nada além dos aplausos do público (e foram muitos) e faz parte da programação da Christkindfest de Santa Cruz. Essa em especial, eu destaco. É uma noite diferente, onde as pessoas levam suas cadeiras, seus chimarrões e viajam no tempo ouvindo as melodias dos Beatles que marcaram uma época e continuam emocionando gerações que nem conheceram os integrantes do grupo. Como não poderia deixar de ser, sempre tocam Michelle, Help, Let it be, Yesterday, Twist and shout, Hey Jude entre tantas outras... Quem perdeu já sabe, marque no calendário de 2009. Vale a pena.

2 de dez de 2008

40 anos do AI-5

Olá, amigos!
Só para lembrar, esse mês o AI-5 completa 40 anos. Em Santa Cruz do Sul, como em outras cidades, pessoas de movimentos sociais e educacionais se reuniram e elaboraram formas de lembrar esse dia. Cliquem na figura abaixo e vejam a programação que será desenvolvida em Santa Cruz. Se você mora aqui, encontre uma de seu agrado e participe. Senão, se informe sobre a programação que será realizada na sua cidade. Se não houver programação, crie uma sua. Faça algo. Até um simples comentário com amigos ou colegas de trabalho, mas não deixe cair no esquecimento. Reflita sobre os acontecimentos e convide a reflexão. Um povo sem passado é um povo sem futuro. Acontecimentos do passado nos ensinam a melhorar nosso futuro, mesmo que seja vergonhoso como esse em questão. Grande abraço a todos.

1 de dez de 2008

Seminário Proinfo e TV Escola

Aprender, fazer novas amizades, viajar e de avião?! Tudo de bom! Nos dias 18, 19 e 20 de novembro participei do Seminário Proinfo e TV Escola que aconteceu em Florianópolis, na Praia dos Ingleses. Ficamos divididos em três hotéis. Fiquei no Hotel da Praia. O evento mesmo era no Hotel Praiatur. O sol pouco apareceu, mas o seminário estava quente. Tinha calor humano de sobra. No primeiro dia estávamos todos juntos: multiplicadores e técnicos. Já no segundo e último, “cada um no seu quadrado”... (hehehe). Eu explico. Tivemos momentos diferenciados de acordo com a função. Os multiplicadores tiveram oficinas específicas e os técnicos também (certificação digital, georeferenciamento, dual boot, etc). Foi muito legal. Conheci novos colegas, troquei idéias e pra mim tudo era novidade, tudo era festa, pois nunca tinha ido numa formação do Proinfo. Adorei. Nosso projeto foi escolhido como um dos casos de sucesso da região sul. O que muito nos alegrou e acho que não fizemos feio na apresentação. Produzi um vídeo com entrevistas com as professoras do Colégio Barro Vermelho, de Rio Pardo e a Lene fez uma apresentação sobre o projeto. Nas horas vagas, caminhei pela praia, com direito a banho de chuva... E aprendi a jogar bilhar...hehehe. Ganhei até o apelido de “Stellinha do boné”! Acho que a Diana se arrependeu de ter me ensinado, porque ganhei todas dela =D. Mas verdade seja dita, não foi por mérito meu (hihihi). E na volta escapamos por pouco dos deslizamentos, pois deixamos a Praia dos Ingleses na sexta-feira de manhã. Triste ver pela TV a situação da região. Mas os dias de aprendizado no meio daquela paisagem toda vão ficar na lembrança.

13 de nov de 2008

Itapema. Ah...

Finalzinho de outubro estive em Itapema. Praia pequena e relativamente famosa perto de Floripa. Adorei a cidade... É um amor: pequena, aconchegante, dona de uma beleza caracteristicamente típica de cidades de veraneio. Pena que o clima não colaborou novamente. Acho que São Pedro não está muito a meu favor ultimamente... Ou não... Há controvérsias (hehehe). Talvez ele tenha “jogado” mais a meu favor do que eu pense. A gente sempre encontra alternativas pra dias nublados na praia... Foram dias especiais, ouvindo o barulho do mar e Armandinho (já que não pude ir ao show, tive um show particular). É, Itapema tem mais história, mas não vou abrir aqui. Fiquei impressionada com a quantidade de prédios praticamente vazios à espera de comprador ou inquilino. Prédios novinhos... Praticamente fechados... Estive também na vizinha famosa de Itapema, Balneário Camboriú. Mas por estar fora da temporada os passeios ficaram um pouco prejudicados. Por exemplo, não consegui passear no teleférico, nem no navio pirata. A vista dos molhes é linda. E como não resisto a um “homem de lata” tirei uma foto com a estátua do presidente Jango (hehe).

Os shows da Oktoberfest

A Oktoberfest trouxe alguns shows legais esse ano. Talvez porque o tema era a dança e a música. Assisti ao show do Tradição, Roupa Nova e Zé Ramalho. Três dos quatro que pretendia. Ficou de fora Armandinho, porque o clima não colaborou. Gostei de todos os shows, mas ver e ouvir Zé Ramalho, mesmo no meio do barro, foi uma experiência única. Nunca vou esquecer quando ele começou a cantar “Batendo na porta do céu” e na hora do refrão quando apontou para o céu e a galera começou a cantar, as nuvens começaram a abrir e o céu começou a estrelar. Uma noite realmente mágica. Ouvi vários comentários sobre o valor do ingresso. Até concordo que R$ 20,00 é um pouco "salgado" pra uma família... Ainda mais quando se sabe que o mesmo show na Oktober de Igrejinha foi visto por R$ 6,00... Coisa pra se pensar.
Ah! Em tempo... Agora sei o sexo do meu afilhado. Ih, já entreguei... Será um menino. Tô bem feliz.

NTE’s reunidos!

Oito e nove de outubro tive minha primeira participação em Seminários dos NTE’s. Foi no Centro Administrativo e foi uma experiência muito legal. Revi colegas de Livramento, conheci outros que só tinha contato pelo telefone, participei de um treinamento de incêndio... hehehe. Os temas do seminário eram: tecnologia, internet, mídas, atividades dos NTE’s, dificuldades, etc. A troca de experiências foi muito produtiva. Voltamos (eu e minha colega) cheias de idéias. Comprovei que tenho que dar jeito nessa minha fobia de falar em público. Urgente! Ah, foi uma honra também ter conhecido a Léia Fagundes, um nome que serve de parâmetro quando o assunto é educação e tecnologia. Essa senhora, doutora em sua área, é muito jovem, ativa e a frente do seu tempo, apesar de seus 80 anos.

Salvador: cidade da alegria!

Em setembro conheci Salvador. Meu dindo fez “60tinha” e quem ganhou o presente fui eu... Foram três dias muito legais. Salvador é muito linda. Adorei a cidade. A Igreja de São Francisco me impressionou bastante. Adorei provar a tapioca e achei o acarajé uma delícia. A festa de aniversário do meu dindo estava muito boa e emocionante, teve de tudo: de risos a choradeira. O povo é muito simpático. Vou lembrar sempre da Lúcia, vendedora ambulante de fitinhas do Senhor do Bonfim, que me disse que filhas de Iansã são apimentadas... hehehe. Do gosto do sorvete de tapioca... hummm... delícia... Ai... outro lugar que preciso voltar!




23 de set de 2008

Pode crer... Eu tô falando de amizade...

Dizem que um filho é sempre um presente. Eu sou uma primogênita. Padrinho é uma pessoa escolhida pelos pais de uma criança para ser o “pai espiritual” dela. Meu pai tinha um amigo inseparável na juventude. E era tanta amizade que quando nasci, ele me “deu” como afilhada. Eu, a primogênita dele. Nome do amigo? Daniel Catalan. Meu padrinho não esquentou muito o banco em Livramento, logo ele tomou outro rumo. Engenheiro de formação foi trabalhar na Bahia, estado que o apadrinhou também. Durante minha vida foram poucas as vezes que nos encontramos e a distância fez com que a gente não participasse tanto da vida um do outro. Mas a amizade entre meu pai e meu padrinho é tão grande, que a idéia que tenho dessa pessoinha é baseada na “leitura” que meu pai faz dele. Meu pai tem sempre histórias divertidas pra contar e onde sempre fica claro o sentimento maior de amizade que perdura apesar da distância. Como é lindo ver uma amizade sincera. É um presente valioso. Duas histórias surgem na minha lembrança quando penso em meu padrinho. A primeira é sobre a única vez em minha vida que pulei de um trampolim. E quem estava lá? O meu padrinho... Ele, geralmente, ia no verão pra Livramento e nós íamos para a piscina da Santa Rita. Sempre tive um pouco de medo d’água...Mas meu padrinho me convenceu a subir no primeiro trampolim e saltar na piscina que deve ter uns 3m de profundidade. Mesmo com medo fui. Fui porque ele prometeu me segurar lá embaixo. Nunca esqueci aquela sensação... De ir afundando na água com a certeza de que não ia me acontecer nada de ruim. Meu pai sempre dizia que meu “dindo” era um bom nadador. Nunca mais fui ao fundo de uma piscina, nem tampouco saltei de um trampolim. Meu “dindo” não estaria lá embaixo. Sem chance então. A outra história é sobre um encontro que meu pai e meu padrinho e mais um amigo deles marcaram na época da juventude. O ano 2000 sempre foi visto como algo muito longe, um futuro cheio de mitos e quase inalcançável. Pois eles marcaram de se encontrar no dia 7 de Setembro de 2000, no coreto da Praça General Neto, em Santana do Livramento, às 12h. No encontro deveriam levar suas respectivas famílias. Cresci ouvindo meu pai falar do tal encontro. Pedia sempre pra ele contar de novo e dizer o dia. Quando entrou o ano 2000 nossa ansiedade não era pouca (hehehe). E no dia e hora marcados estávamos lá. Meu padrinho veio... "Despencou" da Bahia até Livramento para não dar “bolo”. Palavra é coisa pra poucos. O outro amigo...? Esse deu “bolo” (hehehe). Tudo bem... Almoçamos todos juntos, rimos muito e passamos uma tarde agradável tentando localizar o terceiro integrante da história. E aproveitamos pra marcar mais um encontro... (hehe) Só que agora esqueci a data certa (hehe). Esse mês os amigos se tornaram uns senhores sexagenários, mas isso não mudou em nada o sentimento entre eles. Como diria um cara que andou lá por Brasília, essa amizade já pode ser considerada “imexível”. =) Agora chegou a minha vez de viver o outro lado. Em fevereiro de 2009 nasce o meu(inha) afilhadinho(a). Serei dinda! E de um primogênito também. Estou muito feliz!

11 de set de 2008

Minhas mais recentes andanças...

Olá, pessoal... É, nem tão recentes. Eu sei, eu sei... Ando sumida, mas vou tentar colocar em dia minhas últimas andanças.
Por força de trabalho andei pelas bandas de Venâncio. Estou praticamente uma venanciense (se é que é esse o nome). Numa dessas idas, pude visitar a Catedral Nossa Senhora da Conceição e tirar algumas fotos que compartilho com vocês. Usei o Picturetrail. Experimentem é bem legal. Parecido com o Slide.



No segundo domingo de cada mês a turma da GFU faz uma visita ao terreno do Asharam. Nesse tempo que freqüento, sempre tem uma coisa ou outra e acabo não indo. Em agosto fui (pela segunda vez). Por ser um domingo especial (Dia dos Pais), o público estava bem reduzido, mas não menos divertido. Finalmente provei o tão falado sorvete da rodoviária de Sinimbu!(hehe) Já estava pensando que era lenda urbana. Também venci um medo, atravessei uma ponte pênsil. Mais fotos...


No final de agosto, foi meu aniversário. De presente, ganhei essa linda flor das minhas colegas... Que veio com uma abelhinha pra lá de faceira... (hehe) De bolsa e tudo! Minhas colegas fizeram altos complôs pra me mandar pra rua pra que pudessem comprar a flor. Eu, com meu jeito “ariano”, dificultei um pouco as coisas e quase atropelei a pobre da florzinha...(hahaha) Da turma da GFU ganhei um moletom branco com o emblema bordado.


Ah, pra quem estava esperando o segundo encontro do Manoca, sinto muito. Não pude ir, os ingressos esgotaram rapidíssimo. Pena, eu queria ver o show de encerramento do César Oliveira & Rogério Melo... =( Mas pra compensar coloco aqui o vídeo com a música que não podia faltar e consegue descrever muito bem o pessoal da fronteira.
No início de setembro aconteceu o encontro presencial do curso Mídias na Educação. Tão no início que posso considerar como mais um presente de aniversário. O encontro foi em Santa Maria. Maiores detalhes e fotos no meu wiki sobre o curso: http://eueasmidias.pbwiki.com/. Ah, aproveitei a oportunidade pra rever meu amigo Mario “Bros” (dos tempos de Uergs)... Não é que o tipo resolveu enveredar pro lado da política. Estava com o carro tapado de adesivo e de barro... Foi um dia muito legal onde revi e fiz amizades. Finalmente conheci algumas colegas e o meu tutor... Estranho a gente trocar mensagem com pessoas que não temos nem noção de como são, né? ;) Acho que decepcionei algumas colegas que esperavam ver uma pessoa maior (hehe), mas tudo bem.

Nesse findi aconteceu mais uma exposição de orquídeas em Santa Cruz. Adoro setembro por isso. Fui ver, é claro! Muita cor e beleza num dia frio. Compartilho as fotos com vocês. Dessa vez estava à procura de formas e cores mais exóticas. Também vi alguns ambientes decorados pra festas. Muuuuito show. Ah, tirei foto com as soberanas da Oktoberfest que estavam por lá promovendo a festa.

Bah, ficou uma postagem gigante... =)

6 de ago de 2008

Martha Medeiros me conhece como a palma da mão...

- Essa mulher andou investigando a nossa vida! – teoria da minha amiga Simone (hahaha). Adoro Martha Medeiros. Ela me fazer refletir, pensar que não é só comigo, que não sou tão doida quanto penso e que ainda tenho solução... Ufa, ainda bem. E como ela mesma escreveu: o que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia. E é porque ela mexe comigo de várias formas, que resolvi escrever sobre ela. Tem sempre uma crônica, um poema que identifica uma parte de mim... Consigo me ver ali, em seus escritos, de alguma forma. Será que essa mulher mandou alguém nos seguir mesmo? Será que ela é algum tipo de Sherlock Holmes gaúcha de saias? Será que ela tem “olheiros” espalhados por aí? (hehehe). Acharam a teoria da Simone exagerada? É a cara de uma ascendente em sagitário =). Na verdade acho que Martha Medeiros nos entende como ninguém porque é gente como a gente. Toda mulher de alguma forma conhece o que se passa no íntimo feminino e olha que somos complicadas... Pelo menos é o que dizem (minha opinião é que complicado mesmo é o ser humano em geral). Mas ela não se limita em descrever só o universo feminino... Descreve as pessoas, situações da vida, pensamentos mil em suas breves linhas, que não posso nem de longe chamar de mal traçadas. E tudo isso com uma pitadinha de humor. Ainda bem que ela tem o dom da escrita e sensibilidade para ver, e facilita o nosso entendimento e leitura para os que aí estão “atravancando o nosso caminho”, como diria Quintana. Lendo seus textos fica tudo tão mais claro e simples... Nós é que somos bobos em complicar. Mas por via das dúvidas a partir de hoje vou ficar de olho bem aberto pra ver se não tem ninguém nas minhas pegadas... Alguém suspeito usando um sobretudo, lupa... Essas coisas... ;) Gracias pelo toque Si... =D

PRA QUEM QUER LER UM POUCO:

10 de jul de 2008

Livramento está encolhendo...

Minha cidade natal foi mencionada no noticiário do estado. É um dos municípios que segundo o IBGE encolheram! Oito por cento de encolhimento. Mas que material é feita essa Livramento, tchê?! Nem tem do que duvidar... Não é novidade nenhuma que tem uma filial de Livramento em Caxias. E isso já faz tempo. Dizem uns até, que certa vez o prefeito chegou a mandar uma correspondência pra Livramento, pedindo que não incentivasse a mudança pra cidade. Eu mesma, uma vez pensei em ir pra lá. Mas filial de Livramento não é só privilégio de Caxias. Tem em Porto Alegre... Já se forma uma em Florianópolis... Até em Santa Cruz já tem um número considerável. Vai acabar se cumprindo as previsões de alguns que dizem que a cidade se transformará numa cidade de aposentados. Os mais jovens que ainda não criaram raízes e têm coragem de se aventurar, cultuam a idéia de ir embora. E sempre tem quem grite: - O último a sair apaga a luz! E o triste é que entra governo, sai governo e a coisa não muda. Aí tem sempre quem lembre de uma tal praga que um tal padre teria jogado sobre a cidade. Quanta história! A minha singela opinião é que a cidade insiste num modelo que já se viu que não dá mais certo por lá. Insistem em reativar os frigoríficos... Ficam em volta dessa idéia como mosca em tampa de xarope. Gastam uma energia tamanha, reabrem e vai a falência de novo. Pelo amor de Deus, alguém pense em outra coisa! A cidade tem duas unidades universitárias (UERGS e Unipampa) e não vejo grande empenho na defesa dessas. Sorte que tem Rivera... Nunca pensei que fosse dizer ou escrever isso um dia (hehehe), mas é verdade. Mais que cidades irmãs... São xifópagas, se uma vai bem leva a outra junto. Por mais que a gente goste e sinta saudade, não há como negar que algo vai muito mal. Não é de hoje. Faz tempo que é a cidade do “Já tinha”. Tinha um cinema... Um não, dois. Tinha um frigorífico. Tinha uma cooperativa. Tinha lojas com tradição. O orgulho da cidade ainda é a água, as vinícolas, a tradição e o estilo fronteiriço que só quem nasceu nesse chão reconhece. Todos que saem da terrinha, notam com certeza que nosso povo é diferente. Isso é bom, cria personalidade. Falamos diferente, comemos diferente, só temos que começar a pensar diferente. Espero que um dia melhore. Que assim seja!

LINK PARA REPORTAGEM DO NOTICIÁRIO

30 de jun de 2008

Música gaúcha em terra de alemão

Fui assistir a etapa local do 3º Manoca da Canção Gaúcha, festival nativista de Santa Cruz do Sul. Para quem não sabe o que é Manoca, aí vai: “conjunto de 20 a 25 folhas de tabaco reunidas para secagem e cura, atadas por outra folha enrolada, uma das mais usuais maneiras artesanais de classificar o fumo”. É... Essa é Santa Cruz, terra do fumo (só pra lembrar =)). Foram apresentadas 10 canções, de onde duas saíram premiadas e classificadas para a próxima etapa que é a nacional. Dentre os jurados, estava o conterrâneo Mateus Lampert. A campeã da noite foi “As luzes da tapera” uma chamarrita de autoria de Glauco Lemos e Daniel Petry, representando Santa Cruz do Sul e São Gabriel. A segunda colocada foi "Da Alma, um canto pra os meus", uma milonga de autoria de Tiago Oliveira, representando Santa Cruz do Sul e Vera Cruz. Houve premiação para o melhor intérprete, melhor instrumentista e instrumentista revelação.
O show de encerramento foi com Luiz Marenco. E nessa hora confesso, acho que abriram as porteiras pros “pêlo duro”, pois a gritaria e a animação tomaram conta do local (hehehe) que até então permanecia contido, bem ao estilo alemão. Apesar do festival ser em Santa Cruz, é claro que onde o assunto é tradição, tem mais que o dedo do pessoal de Rio Pardo, São Gabriel, Encruzilhada do Sul, Pelotas, Cachoeira do Sul, e não podia faltar, da minha terra Santana do Livramento... E isso ficou evidente durante o festival, todas as classificadas tinham parceria com uma dessas cidades. Só para constar, na etapa local era exigência um integrante do grupo ser natural de Santa Cruz. O auditório da Faculdade Dom Alberto quase veio abaixo quando Marenco cantou “Batendo água” e “Cantor de Campanha”. Mas a letra de Destinos, parceria de Marenco com Jayme Caetano Braun diz tudo: a querência eu levo dentro e o resto eu toco por diante... Cada um no seu estilo, cultuando a tradição. Gracejos à parte, a querência é uma só (Rio Grande do Sul) gaúchos e gauchas de todas as querências! Fico no aguardo da segunda etapa, a nacional, que será no dia 30 de agosto e terá show com César Oliveira e Rogério Melo. Espero que cantem “Os ‘loco’ lá da fronteira” (hehehe). Ah, em tempo: Luiz Marenco é uma simpatia.

23 de jun de 2008

Um show de patinação

Fui ao meu primeiro show de patinação! E foi meio que no improviso. Sabia que ia ter, mas nem cogitei ir. Não me perguntem porquê. Mas acontece que uma amiga me deu carona, ela tinha ingressos e acabou por me convidar e eu aceitei. Ainda bem... Sempre me encantou, mas nunca tinha visto um ao vivo. Foi lindo demais. E vi logo ninguém menos do que o bi-campeão Marcel Stürmer fazendo suas piruetas no ginásio Poliesportivo de Santa Cruz, carinhosamente chamado de Poli pelo pessoal daqui. Foram vários ritmos: um "pot-pourri" com músicas do Michael Jackson, hip hop, dance, tango, rock, romântica, samba... Pra quem está achando os ritmos difíceis, imagine em cima de 8 rodinhas... =) É de cair o queixo. Marcel apresentou a coreografia do samba que lhe deu o bi-campeonato no Pan. Foi o auge da noite, e a galera foi ao delírio.
Como não levei minha máquina, não deu pra documentar o momento. Uma lástima, como diria minha amiga Talita. Procurei um vídeo pra complementar, muitos tinham a dita coreografia, mas o som e a imagem estavam prejudicados, então optei por um de qualidade melhor apesar de mais antigo. Mas dá pra ver alguns passos executados nessa noite também.



PS: Bah... Por isso que cada dia que passa gosto mais dessa tal de internet... Pros "boca aberta" da vida como eu que não andam com sua máquina em punho, sempre tem os amigos do orkut que colocam as fotos no albúm (hehehe). E eu que não sou boba nem nada, peguei algumas "emprestadas" pra compartilhar com vocês. Fotos "cedidas" pela Prof. Larissa... =) Valeu!



20 de jun de 2008

Solstício de Inverno - Festa Junina da GFU


Aconteceu a esperada Festa Junina da GFU! Muita guloseima, quentão sem vinho.... (hehe), brincadeiras e diversão. Teve "Colocar o rabo no burro", "Pescaria", "Tudo premiado" e sorteio da torta recheada. A GFU costuma comemorar tanto os solstícios quanto os equinócios. Reunem-se em cada entrada de estação, mas só duas são abertas aos familiares, iniciantes, etc.: o solstício de inverno e o de verão. Tradicionalmente é realizada na sede da Pionner em comemoração ao solstício de inverno, noite mais longa do ano. É claro que também é um momento para lembrar o nascimento de São João Batista. São João... São João... Acende a fogueira do meu coração...

17 de jun de 2008

Mercedes Sosa na XIX Vigília do Canto Gaúcho




No dias 13 e 14 de junho, aconteceu em Cachoeira do Sul a XIX Vigília do Canto Gaúcho. Dentre as concorrentes sagrou-se campeã a música "Madalena flor do campo", um rasguido doble com letra de João Rafael Teixeira Chiappetta, de Cachoeira do Sul, e música de Carlos Madruga, de Porto Alegre. Defendida em palco pelo jovem intérprete Matheus Leal, a música conquistou os jurados, conquistando também o a premiação de melhor melodia. O segundo lugar ficou com a chimarrita "Romance fronteiro", de Gujo Texeira e Juliano Gomes, interpretada por Marcelo Oliveira. A chamarra "A estrela torta da espora", também de Gujo em parceria com Everson Maré, ficou em terceiro lugar no festival. O prêmio de Música mais popular ficou com o chamamé "Romance a um par de rédeas", letra de autoria de Mateus Neves da Fontoura e música do conterrâneo Juliano Moreno.
_______________________________________________
ESCUTE A MÚSICA CAMPEÃ CLICANDO ABAIXO:

Madalena flor do c...
________________________________________________

Mas o momento mais especial da noite, foi sem dúvida nenhuma o show de encerramento com a Mercedes Sosa. Movi mundos e fundos para estar lá e consegui. Peguei uma gripe medonha, mas valeu a pena. Ver e ouvir Mercedes cantar foi um presente. Pessoal, a mulher canta como se estivesse conversando... Não faz esforço nenhum. E que voz! La negra... Essa senhora que beira os 73 anos, é sem dúvida uma das vozes que representa a América Latina. Com seu timbre contralto, canta e encanta tanto o público de um ginásio lotado uma cidade do interior do RS, quanto os teatros da vida.
O vídeo abaixo é da música Duerme Negrito. Ela não cantou essa música em Cachoeira... Uma pena. Eu adoro. Esse vídeo é de um acústico que ela gravou na Suíça na década de 80. É uma música do folclore argentino e já é considerada de domínio público. Espero que gostem. Entonces... ¡Canta conmigo, canta... Hermano americano... Libera tu esperanza... Con un grito en la voz! =)

Homens de Perto


Esse foi meu programa dia 10 de junho: dar muitas e muitas risadas! E eu que nem gosto... A peça cumpre o que promete: fazer o público rolar de rir. Um programa bem divertido. Quem espera algum enredo, reflexão, lógica, vai perder tempo. É um momento pra descontrair e rir. Uma hora e meia de diversão e nada mais. Nada mais? E tem coisa melhor? Já está de bom tamanho, né? Quem tiver a oportunidade, veja. Podem espiar o site: http://www.homensdeperto.com.br/ e decidam. Recado dado.

21ª Feira do Livro

Aconteceu em Santa Cruz do Sul, de 31 de maio a 8 de junho a 21ª Feira do Livro. O tema desse ano foi "100 anos sem Machado de Assis". Dentre as atividades da programação, a que escolhi para registrar acima foi o "2º Encontro sobre livros, leituras e pessoas com deficiência". O evento foi organizado pelo Grupo Encontros sobre livros e leituras, ASDV, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Assessoria de Relações Comunitária - Proext/Unisc e Núcleo de Apoio Acadêmico da Unisc. Fiquei feliz em ver que haviam várias pessoas atentas à questão. Quem teve a oportunidade de participar, com certeza gostou. Quem não teve... Lamento, mas terá que esperar pelo 3º Encontro.

23 de mai de 2008

Os óculos mais caros...

A estátua do meu amigo Drummond foi mais uma vez vítima de vandalismo. Essa é a terceira! A cada óculos que levam, são três mil reais para repor. A solução encontrada pela prefeitura será colocar uma câmara de vigilância pra ver se inibe esse tipo de ação. Drummond terá seu dia vigiado 24h... Esse dinheiro poderia ter outro destino se as pessoas tivessem consciência. Quando estive no RJ, fui uma das centenas de turistas que registraram o momento do “tête-à-tête” com o poeta. E para provar que não tenho nada a ver com isso, coloco a foto aqui, pra que vocês vejam que ele estava com os óculos e enxergando muito bem quando nos encontramos! =) Tem gente que não tem o que fazer mesmo... Lamentável. Mas já dizia o atacado: “Meia saúde e meia doença, eis o estado normal da vida."

25 de abr de 2008

1 ano de bloqueira

Olá, amigos e visitantes desse singelo cantinho! Amanhã completo um ano nessa vida de blogueira... Eu que achava tudo isso uma bobagem, me rendi aos encantos de ter um blog. Comecei publicando letras de músicas, poemas e escrevendo muito pouco de mim. Não demorou muito e as coisas se inverteram. Agora estou quase que toda exposta aqui nessa tela de computador, através dessas poucas palavras que escrevo. O que tenho a dizer é que estou adorando a experiência, espero que estejam gostando também e adoraria que deixassem um recadinho com sugestões, toques ou apenas um "Oi". Este blog além de "informar" amigos, parentes e conhecidos sobre minha caminhada de vida, é onde publico meus gostos, interesses... Enfim é bem como a música que escolhi para dar nome a ele (Infinito Particular). Onde coloco o melhor e o pior de mim. Ele anda meio paradinho..., mas assim que der volto com carga total. Aguardem! Obrigada pelas visitas, apoio e recados. Voltem sempre. Bjs

8 de abr de 2008

Uso responsável da Internet

O filminho abaixo foi retirado do site http://www.gvt.com.br/portal/educandogvt/. Muito interessante dar uma espiadinha ;). Apoie você também essa campanha.

25 de fev de 2008

Só as mães são felizes!

Terminei de ler o livro “Cazuza – Só as mães são felizes”, de Lucinha Araújo. Poderia ocupar esse espaço pra falar de Cazuza, essa personalidade única de quem eu admiro o trabalho e a coragem. Mas decidi escrever sobre a pessoa que foi tão importante na vida dele e que depois de ler seu depoimento me pergunto de onde essa mulher tirou tanta coragem. Coragem pra enfrentar os pais, em pleno anos 50, pra casar com um cara que a família achava vagabundo. Coragem pra segurar a barra no início do casamento costurando pra fora. O sonho de ter uma família grande e barulhenta se resumiu a um só filho. Depois de Cazuza, o médico disse que ela não poderia ter outros. Então todo o amor se concentrou em um só. O próprio Cazuza diz que se houve erro foi por excesso de amor, mas que ele preferia os excessos que a falta. Cometeu alguns exageros na infância de Cazuza, e talvez em muitos ocasiões tenha enfiado os pés pelas mãos de acordo com sua auto-crítica. Mas qual é a mãe (principalmente a de primeira viagem), que não erra? Ela mesma diz que filho não vem com manual de instrução. O resultado dessa educação, foi um ser extremamente sensível, um artista. Deus sabe o que faz. Ele sabia que esse filho ia dar bastante trabalho. A família barulhenta ela teve de uma vez só... Cazuza fez muito barulho, desde a adolescência até a sua morte, como bom exagerado que era e quem estava por perto vivia as emoções no seu limite. Mas era uma pessoa cativante e carinhosa de acordo com vários depoimentos de familiares e amigos. Lucinha não chorou na frente do filho nenhuma vez desde que soube do diagnóstico de HIV positivo. Não saiu de perto do filho, durante todos os 3 anos em que ele sofreu com a doença. E depois de todo esse calvário ainda teve ânimo para ajudar crianças que sofrem com a mesma doença que levou seu filho. O que, talvez, a maioria quisesse era se distanciar de situações familiares pra poder esquecer. Lucinha não. Três meses depois da morte de Cazuza estava dentro de um hospital ajudando as crianças com HIV. E confessa ter essa coragem toda graças a seu filho, pois não quer decepcioná-lo. A convivência com Cazuza foi um longo e doloroso aprendizado e ela redescobre o filho a cada dia em seus versos, nas crianças que ajuda, nas pessoas que relembram suas músicas e sua história todo momento. O poeta continua vivo! Só quem é mãe pode entender que força é essa que transforma a dor em coragem pra lutar. Só as mães são felizes? Nem todas... Mas essa é a vida.

O Rio de Janeiro continua lindo...

Minhas férias esse ano foi multi-roteiro. Passei as festas e o início de janeiro em Livramento com a família. Dias pra derreter de tanto calor. Revi amigos e curti a Sarandi. Zarpei rumo à Floripa conhecer a mais nova integrante da família, Ludmila (minha prima). Peguei um dia de praia bom e dois com vento, os outros com chuva. Mas o que quero contar aqui é a realização de um sonho antigo, conhecer o Rio de Janeiro. Fiquei hospedada na casa de um amigo na Tijuca. Apesar de também não ter dado muita sorte com clima no Rio, adorei tudo. Já no primeiro dia fomos assistir à peça da Louise Cardoso, Mãe Coragem. Após o teatro nos aventuramos na quadra da Mangueira. Muito legal! Apesar do cansaço deu pra sambar um pouquinho. Adorei aquilo lá, apesar de ser Beija-flor. O pessoal vai pra dançar mesmo. Não vi ninguém de “pegação” pelos cantos. Tudo muito organizado... Pra entrar na quadra desembolsamos 20 pila cada um. Se quiséssemos ocupar uma mesa era 30. Mas o pessoal não parecia estar preocupado, lotou. O samba rolando todo tempo. Dei sorte com os táxis por lá. Segundo dizem, eles gostam de cravar a faca nos turistas, uma tal negociação do preço da corrida de acordo com o lugar de destino. Mas eu peguei só os do bem (hehe), todos botavam o taxímetro pra funcionar. Conheci a Biblioteca Nacional, o Centro de Cultura do Banco do Brasil, o Centro de Cultura da Justiça, o Jardim Botânico, o Palácio da República, Copacabana, Ipanema, a praia da Barra, o Aterro do Flamengo e andei na roda gigante da Skol. Todos os passeios foram legais, mas emoção maior foi andar em Copacabana e Ipanema. E ver um exemplar da flor de lótus no Jardim Botânico. Ah, fizemos um lanche na famosa Confeitaria Colombo e conheci pessoalmente a Melgama, do site Melgama que há muito tempo dou umas espiadas. Lamento não ter visto o Cristo Redentor... Os dias estavam nublados e o preço pra subir era em torno de 45 pila. Entendi porque muitos cariocas não conhecem o ponto mais famoso da cidade e agora uma das 7 maravilhas do mundo. Também vi o famoso pijama do Getúlio Vargas, com buraco do tiro e tudo e a arma que ele usou (isso foi só um comentário). Fui no Fórum Social Mundial, que lá no Rio levou o nome de “Rio com Vida”. Quando andei pelo calçadão de Ipanema me senti a própria garota (hihihi, brincadeirinha...), desde que de boca fechada, pois se abrisse a boca pra dar um oi ou perguntar algo, logo era desmascarada (hehehe). Logo perguntavam: é gaúcha? - Pronto, meu disfarce ia por água a baixo (hahaha). Mas tenho que concordar com o Gil, o Rio de Janeiro continua lindo... O Rio de Janeiro continua sendo... Mesmo com dias nublados. Essa curta temporada no Rio me deixou com gostinho de quero mais... Espero voltar um dia.