17 de set de 2007

Alemón também cultua a tradiçón...

Um fronteiriço espera a chegada da Semana Farroupilha, assim como um carioca espera a do carnaval. Eu não sou muito chegada nessas coisas de “lida campeira”, mas aprecio a música e as danças tradicionalistas. E o chimarrão é claro. O engraçado é que quando estava na fronteira, não gostava de dividir as ruas e as calçadas com os cavalarianos montados em seus cavalos (não necessariamente nessa mesma ordem...). Perdão pela toque de maldade que coloquei nesse comentário (hehe). Não pude evitar. Agora que me afastei da querência, confesso que até sinto um pouco de falta daquele agito que vinha junto com a chegada de setembro. Em Santa Cruz, esse agito todo, é em outubro, mês da Oktoberfest. Mas se acho que com a Semana Farroupilha não tenho muita identificação, com a festa do chopp tenho menos ainda.
Dia 12, eu e minhas colegas, participamos da abertura da Semana Farroupilha na 6ª CRE. Fiz uns “cliques” de “algunas cositas” que vi por lá. O clima Farroupilha aqui não é como na fronteira. Isso é notório. Mas outubro na fronteira também é um mês mais que comum. Então, fica elas por elas. É questão de gosto. E como o diz o velho ditado: Gosto não se discute. Aos gaudérios de plantão peço que vejam as fotos e não sejam tão críticos... Mas nem tudo está perdido, em novembro Santa Cruz é invadida por gaúchos e gaúchas de todas as querências... E o mês do Enart!

Nenhum comentário: