17 de set de 2007

Um presente iluminado

Faço ioga na Grande Fraternidade Universal, mais conhecida como GFU. A GFU foi fundada pelo Dr. Serge Raynaud de la Ferrière, e seu veículo é a Missão da Ordem de Aquarius. É uma organização civil e cultural que tem como objetivo reunir a Ciência, a Arte e a Religião para um aperfeiçoamento intelectual e uma reeducação espiritual, mediante a fusão de todas as seitas, associações, sociedades humanitárias, filosóficas, científicas, artísticas, esotéricas, religiosas e iniciáticas.
Pelo meu aniversário, recebi dos colegas do curso de Instrutor de Ioga (que estou fazendo, mas ainda não criei coragem para partir pra ação hehe), um “Livro Presente”. Achei tão bonito e criativo o vale presente da livraria Iluminura, que resolvi tirar uma foto pra que vocês vissem. Sábado fui toda animada, retirar meu presente. A escolha foi o livro “Buda, a história de um iluminado”, de Deepak Chopra. Ainda não li, mas adorei o presente. Bom, presente de verdade eu ganhei quando encontrei a GFU. Lá estou aprendendo muito e fazendo amigos. A GFU oferece aulas de ioga; cursos de cosmobiologia, alimentação natural, ioga, artesanato; feira de alimentos naturais e também mapa astral. Quem tiver curiosidade de conhecer, o endereço é rua 7 de setembro, 705 e o telefone (51)37116700. Abaixo a foto do "Livro Presente" e a capa do livro escolhido.

Setembro é mês de orquídeas em Santa Cruz!

Aconteceu, nos dia 14, 15 e 16 a Exposição Nacional de Orquídeas e a 2ª Festa das Flores, no parque da Oktoberfest. A entrada era franca. Foi simplesmente de cair o queixo... Tinha orquídeas de todo tipo. Amarelas, roxas, rosas, brancas, até verde limão... Adoro orquídeas. Cheguei a ganhar uma certa vez, mas matei. Simplesmente assassinei a pobre... (hehehe). Um dia aprendo a cuidar de uma e ela será meu xodozinho. Várias floriculturas participaram do evento. Além das flores para apreciar, havia flores à venda e também algumas amostras de decoração de festas.

Alemón também cultua a tradiçón...

Um fronteiriço espera a chegada da Semana Farroupilha, assim como um carioca espera a do carnaval. Eu não sou muito chegada nessas coisas de “lida campeira”, mas aprecio a música e as danças tradicionalistas. E o chimarrão é claro. O engraçado é que quando estava na fronteira, não gostava de dividir as ruas e as calçadas com os cavalarianos montados em seus cavalos (não necessariamente nessa mesma ordem...). Perdão pela toque de maldade que coloquei nesse comentário (hehe). Não pude evitar. Agora que me afastei da querência, confesso que até sinto um pouco de falta daquele agito que vinha junto com a chegada de setembro. Em Santa Cruz, esse agito todo, é em outubro, mês da Oktoberfest. Mas se acho que com a Semana Farroupilha não tenho muita identificação, com a festa do chopp tenho menos ainda.
Dia 12, eu e minhas colegas, participamos da abertura da Semana Farroupilha na 6ª CRE. Fiz uns “cliques” de “algunas cositas” que vi por lá. O clima Farroupilha aqui não é como na fronteira. Isso é notório. Mas outubro na fronteira também é um mês mais que comum. Então, fica elas por elas. É questão de gosto. E como o diz o velho ditado: Gosto não se discute. Aos gaudérios de plantão peço que vejam as fotos e não sejam tão críticos... Mas nem tudo está perdido, em novembro Santa Cruz é invadida por gaúchos e gaúchas de todas as querências... E o mês do Enart!

4 de set de 2007

Mi cumpleaños

Olá pessoal! Semana passada eu estava de “cumple años”. Como diz aquela propaganda de um banco: O tempo passa, o tempo voa... (hahaha). Nessa época é meio que inevitável uma reflexão sobre a vida e o rumo que está se dando pra ela. Ao meu ver, tive e tenho alguns “privilégios” que outras pessoas talvez não tenham mais. Tenho uma família e eles são carinhosos comigo. Convivi com meus avós. Tenho amigos. Alguns com mais de 20 anos de convivência e amizade, outros de menos tempo, mas tão intenso quanto. A não ser na infância, não precisei de nenhuma intervenção cirúrgica. Minha saúde é boa. Tive como estudar e estudei. Tive oportunidade de dar e receber amor e fiz, pelo menos no meu entendimento. Pessoas especiais cruzam meu caminho todo momento, me lembrando que nada acontece por acaso. Então, diante disso, acho que a minha está indo “bem regularzinha”, como diria a avó de uma amiga minha (hehe).
Fiz mais um ano de vida e percebi que nada mudou. Quase nada... Eu estou mais velha, ou digamos, mais experiente (hehe). E acredito que melhor (hahaha). Mas o resto continua igual. Pessoas morrem, pessoas nascem e o mundo continua o mesmo.
Deixando a filosofia barata de lado, o bom do aniversário é receber o carinho dos amigos e parentes. Recebi muitas mensagens, telefonemas e com certeza muitos fluídos energéticos. Agradeço a todos pela lembrança, pelos pensamentos, pelo bem-querer que me foi dispensado, e reafirmo aqui que o melhor presente é a amizade.
Como já é de praxe (hehe) comemoro meu aniversário, em váaaaarias oportunidades. Em Livramento, por exemplo, talvez comemore em outubro (hahaha).
Abaixo, pra variar umas fotinhos das que ocorreram em agosto mesmo (hehe).

Ao lado do cartaz que minhas colegas fizeram pra mim.

Com as colegas recebendo o presente após o “Parabéns a você”.

A turma que estava presente fazendo a oficina de Montagem de Apresentações.

Tenho uma amiga que aniversaria dia 01 de setembro e resolvemos comemorar juntas com alguns amigos em comum. Esse foi o registro da nossa festa em dose dupla.